5 DICAS PARA MELHORAR A LOGÍSTICA REVERSA E ATENDER À GRANDE DEMANDA DO VAREJO EM 2022

 

Fonte: Painel Logístico

Planejamento, estratégias e eficiência são bases para uma logística de sucesso.

Não é só na hora da entrega que o lojista precisa oferecer a melhor experiência para o seu cliente. Os processos de devolução e troca de produtos também impactam diretamente na satisfação do cliente e no sucesso do negócio. No Brasil, quase 30% das compras online são devolvidas ou trocadas – de acordo com dados revelados em uma pesquisa da Ebit|Nielsen deste ano.

Porém, realizar esse processo de maneira rápida e segura ainda é um desafio para diversas empresas do setor. O especialista Fernando Sartori, founder da Uello – logtech que realiza mais de 7 mil entregas por dia para mais de 150 clientes, entre eles MMartan, Petz, Polishop, Dengo, Etna, Souza Cruz, entre outros – explica que existe um volume muito grande de compras simultâneas e, é possível perceber uma grande demanda para devoluções, por isso ter uma logística reversa eficiente é fundamental para que o evento seja um sucesso.

“Da mesma maneira que é preciso garantir uma entrega rápida, também é necessário estruturar o processo inverso no caso de trocas e devoluções para evitar os erros de logística que prejudicam toda a reputação da loja. No caso da Uello, trabalhamos com tecnologia e rede colaborativa que consolida produtos de diversos clientes em armazéns regionais e otimiza trajetos por centros urbanos, o que faz com que a entrega e a devolução seja executada mais rapidamente e com custo mais competitivo”, explica.

O especialista no setor de logística dá 5 dicas de como melhorar a logística reversa para os varejistas atenderem à grande demanda deste ano: 

Estenda um pouco os prazos de entrega e devolução

Com o aumento do volume de entregas, é essencial planejar a logística e especificar ao consumidor um prazo viável. Qualidade da entrega, atendimento rápido e bom serviço pós-vendas são aspectos que promovem uma boa experiência de compra.

Ship from store como opção

O modelo “ship from store” pode ser uma boa opção para colaborar com a retirada de produtos que precisam ser devolvidos. Nesta modalidade, os produtos saem de lojas próximas do endereço do cliente e não de armazéns ou centros de distribuição, também podendo ser aplicado para a logística reversa de pós-consumo. Com isso, a devolução ocorre de maneira mais rápida e pode ser facilmente acompanhada pelo varejista.

Aposte em tecnologia e gestão em tempo real

A gestão em tempo real facilita o processo de logística reversa. De acordo com a ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), 96% dos comércios eletrônicos ainda não fornecem uma experiência adequada aos clientes, entre eles logística reversa, o que gera vários obstáculos para a fidelização deles. Informação e previsibilidade entre todos os envolvidos é crucial para este aspecto.
 

Crie políticas para devoluções e trocas

Os consumidores de e-commerce têm o direito de desistir da compra em até sete dias após o recebimento do produto. Portanto, o lojista precisa deixar claro ao consumidor como realizar esse tipo de ação, evitando imprevistos maiores que podem abalar o relacionamento do cliente com a loja.

Garanta uma experiência pós-venda

A experiência pós-venda, que inclui política de troca e devolução, também deveria contar com a avaliação de satisfação. A empresa que não avalia ou recebe feedback de clientes não tem inteligência de dados para saber como atingir ou sensibilizar este usuário. Consumidores que conseguem ter informação e acompanhar em tempo real o percurso das entregas, costumam ter uma boa impressão do e-commerce que utilizou e avaliam bem o serviço, eventualmente recomendando a loja a outrem.

 

link original

TALVEZ POSSA TE INTERESSAR:

SE INSCREVA EM NOSSA NEWSLETTER