FROTAS CONECTADAS 2022: TRÊS DIAS DE INOVAÇÃO E SOLUÇÕES DISRUPTIVAS

 

Fonte: Transporte Moderno

Durante o evento, os participantes puderam ter contato com as principais tendências e novidades do setor de logística e transportes.

Com mais de duas mil interações nas redes sociais e quatro mil visualizações de profissionais do setor de vários estados brasileiros e de outros países da América do Sul, além de um grupo seleto de 600 convidados presenciais, a sétima edição do Frotas Conectadas repetiu o sucesso dos anos anteriores.

“Os players do mercado enxergam a relevância do evento e dos temas que são abordados. Quando iniciamos o Frotas Conectadas, muitos dos assuntos que hoje já fazem parte do dia a dia das empresas ainda pareciam distantes da realidade. E é exatamente o caráter inovador deste encontro que o torna único e tão profícuo”, comentou Marcelo Fontana, diretor da OTM Editora.

Carlos Mira, da Truckpad, observou que o Frotas Conectadas tem trilhado um caminho muito semelhante às start ups. “O próprio evento começou como uma start up, com uma ideia inovadora e disruptiva. Com a pandemia, tivemos que nos reinventar e realizar o encontro de forma virtual. Foi um sucesso, com participantes de todo o país. E agora, nos reinventamos de novo, com o formato híbrido, pois não podíamos abandonar o nosso público que aderiu ao on-line e nem aqueles que prezam o contato direto. E continuamos aprendendo em cada edição”, avaliou.

No terceiro e último dia do Frotas Conectadas 2022, o primeiro painel debateu “Conectividade e prestação de serviços no setor de transportes”. Douglas Cartier e Maurício Menezes Mazza, da Mercedes-Benz, e Marcelo Ernesto, da Eaton, destacaram o papel da conectividade e dos canais de comunicação com os consumidores no mercado atual. “Nossos principais pilares são: conectividade, gestão e prestação de serviços”, enfatizou o representante da Eaton.

“O papel central da logística e do transporte na criação de valor para market places digitais” foi o tema do segundo painel do dia. Fernando Sartori, da Uello, contou que a logtech com foco em entregas urbanas foi adquirida pelas Lojas Renner. “A Uello irá manter sua autonomia e atender outros clientes, além da Renner. A colaboração é o futuro, e essa será nossa dinâmica”, comentou Sartori. Patrick Rocha, da Vtex, ressaltou que o last mile ganhou mais importância na cadeia logística com a pandemia e o crescimento do e-commerce. “Cerca de 50% dos clientes que abandonam o carrinho no e-commerce o fazem por problemas logísticos relacionados a prazos e custos.”

O terceiro tema do dia foi “Blockchain e automação na cadeia de transporte e logística”, que contou com a participação de Anderson Dias, da Ophos; Carl Amorim, da Blockchain Hub Br, e  José Estan, da Idwall. “É fundamental para as empresas do setor terem um cadastro, de motoristas, por exemplo, sempre atualizado e confiável, com uma solução que garanta a veracidade dos documentos”, afirmou José Estan. Para Anderson Dias, a automação dos documentos traz maior segurança jurídica às empresas.

Carl Amorim acredita que os empresários do setor precisam encontrar estratégias conjuntas para atuar no mesmo mercado. “O ambiente de negócios mudou: é preciso ser parceiro daqueles que estão no mesmo ecossistema, inclusive da ‘concorrência’. Tecnologia não é mais fonte de vantagens competitivas”, disse.

João Henrique D´Elia, da Ipiranga, e Rodrigo Zacharias, do Pró-Frotas, uma start up criada na Ipiranga, discutiram “Inovação aberta e a transformação das grandes empresas”. “Nosso desafio é praticar inovação em uma empresa com 85 anos de atuação. Para isso, foi criado o Turbo, um hub de inovação para desenvolver projetos transformadores e avaliar investimentos em start ups”, comentou João Henrique D´Elia.

O fechamento do evento foi com o painel “Tendências e o momento atual do setor automotivo”, com Mauro Correia, CEO da Caoa, e Roberto Leoncini, da Mercedes-Benz, e mediação do consultor Ricardo Bacelar. Um dos assuntos debatidos foi o novo perfil do consumidor, que hoje escolhe entre posse uso de um determinado bem e é totalmente conectado, e foi influenciado pelo processo de digitalização que se acelerou com a pandemia e mudou os processos de compra, locação e do pós-vendas.

Leoncini acredita que a indústria automotiva passará por uma grande transformação na próxima década. Eletrificação, célula de combustível, descarbonização, conectividade, eficiência logística, veículos autônomos e serviços 4.0 foram as principais tendências discutidas no painel. A chegada do 5G também gera expectativas. “Precisamos de conexão para entregar ao cliente o que ele espera”, disse Leoncini.

O Frotas Conectadas é um evento promovido pela OTM Editora, TruckPad, Lunica e Netz Engenharia. Todo o conteúdo desta sétima ediçãojá está disponível no YouTube.

link original

TALVEZ POSSA TE INTERESSAR:

SE INSCREVA EM NOSSA NEWSLETTER