MERCADO DE ELETRÔNICOS E ELETRODOMÉSTICOS: UM DOS MAIS RENTÁVEIS DO E-COMMERCE

 

O setor que vem crescendo desde a pandemia, foi um dos cinco segmentos que mais faturaram em 2021.

 

O mercado de eletrônicos fechou o ano de 2021 com faturamento de R$ 82 milhões, segundo levantamentos da NuvemShop. Para este ano, a expectativa é que a categoria cresça 21% e fature R$ 23,7 bi, já para o setor de eletrodomésticos, a previsão de faturamento é de R$ 18,6 bi. Além disso, a  Statista revelou  que a expectativa é que até 2025, a categoria de eletrônicos gerará uma receita de US$ 7,4 bilhões, enquanto a de eletrodomésticos terá uma alta anual de 2,91%.

Panorama do setor de eletrônicos e eletrodomésticos durantes os últimos anos

Assim como outros setores foram influenciados pela pandemia, o segmento de eletrônicos e eletrodomésticos obteve seu crescimento a partir da necessidade da casa se tornar um ambiente de estudo, trabalho e lazer. Entre os anos de 2020 e 2021, as vendas de laptops no e-commerce cresceram 666%, tablets 492%, seguido por videogames e televisores que registrou crescimento de 412% e 248%, respectivamente, de acordo com análises da Criteo. 

infográfico sobre o e-commerce de eletrônicos

 

Fonte: Criteo

 

Já sobre a categoria de eletrodomésticos, o estudo divulgado pela SEMRush revelou que em 2020, os equipamentos domésticos foram a 3º categoria com maior volume de visitas nos principais sites do comércio eletrônico nacional. Além disso, de acordo com a Abinee, a produção de produtos desse segmento cresceu 15,6% entre janeiro de 2020 e de 2021, gerando receita de R$ 4,3 bilhões, segundo a Neotrust|Compre&Confie.

O setor de eletrônicos e eletrodomésticos ganha destaque também nas datas comemorativas e Cyber Monday. De acordo com a Neotrust, no Dia das Mães de 2021, a venda de eletrodomésticos ficou em segundo lugar; entretenimento e informática, que comportam a categoria de eletrônicos, ficaram em terceiro e quarto, respectivamente, entre as categorias mais vendidas. No Natal do ano passado, segundo a Ebit|Nielsen, o segmento de eletrodomésticos foi um dos três setores que lideraram as compras, crescendo 46% em faturamento em comparação com a edição anterior. Já em relação ao número de pedidos, o segmento de eletrônicos registrou aumento de 61% comparado com a edição anterior. Outros eventos como a Cyber Monday (Ebit|Nielsen) – dedicada aos produtos eletrônicos – faturou R$650 milhões, um aumento de 16% em relação ao ano anterior. 

Análise de mercado

Esses números justificam a quantidade de consumidores que acessam os e-commerces que vendem esses produtos. De acordo com o relatório mensal “Setores do E-commerce no Brasil” realizado pela Conversion, a Magazine Luiza, Casas Bahia e Samsung estavam entre as dez maiores lojas que detiveram 44% de toda a audiência do comércio eletrônico nacional no mês de Abril.

infográfico sobre o market share de eletrônicos

 

Fonte: Conversion

 

Agora, analisando somente a categoria de eletrônicos e eletrodomésticos, o Share of Buscar do mercado se concentra em cinco principais marcas: 

infográfico sobre share of search do setor de eletrônicos

 

Fonte: Conversion

Como atender a demanda no e-commerce

Como observado, o e-commerce se consolidou no mercado e as vendas crescem a cada ano. Em 2021, 353 milhões de pedidos foram realizados no e-commerce brasileiro, representando um crescimento de 16,9% em relação ao ano anterior, e para atender a demanda, é necessário uma logística eficiente que venha suprir a quantidade de pedidos, mas também atender às exigências do consumidor. Em média, 50% dos abandonos de compras no carrinho são em decorrência de algo relacionado a logística, seja valores de fretes altos ou períodos de entregas extensos. 

Para isso, um parceiro logístico pode ser a solução. A Uello é uma startup de logística e uma das Top 10 Autotechs, de acordo com o ranking da 100 Open Startups de 2021. Especializada em last mile, oferece serviços que melhor se adequam à operação de médios e grandes players do e-commerce, e com seguro para garantir o reembolso de produtos com tickets muito altos, como é o caso do setor de eletrônicos e eletrodomésticos. Além disso, é focada na experiência do consumidor, que através do sistema de tracking e mensageria, pode acompanhar o status do pedido em tempo real pelo próprio celular. Saiba mais porque as logtechs são o futuro da logística?

TALVEZ POSSA TE INTERESSAR:

SE INSCREVA EM NOSSA NEWSLETTER