O QUE ESPERAR DO E-COMMERCE EM 2022?

caixas de entrega em cima de um notebook

 

Após a consolidação do e-commerce em 2021, a receita projetada para o comércio eletrônico global de 2022 é de $ 5.02 bilhões, segundo levantamento realizado pelo Statista Research Department. A tendência é fidelizar clientes e tornar os processos mais tecnológicos e eficientes de agora em diante.

 

Se 2020 foi o “boom” do e-commerce no Brasil, em que muitos consumidores utilizaram pela primeira vez os canais online de compra, 2021 foi o ano da sua consolidação. O ano fechou com faturamento de R$ 161 bilhões, crescimento de 26,9% em comparação ao período anterior, de acordo com o levantamento da Neotrust. Isso demonstra que se antes o consumidor ainda tinha dúvidas sobre a procedência do comércio eletrônico, agora, ele sabe que seu pedido irá chegar.

A tendência para os próximos anos é inovar o canal e torná-lo mais tecnológico, trazendo jornadas de compra muito mais customizadas e objetivas, além de tempo de entrega mais expressos e personalizados.

Pensando nisso, a Uello separou as tendências do e-commerce que podemos esperar em 2022. Confira:

1) Social Commerce em alta

As redes sociais se tornaram canais indispensáveis quando se trata de vendas. De acordo com a pesquisa realizada pela Opinion Box, 65% dos consumidores entrevistados já utilizaram as redes sociais como ponto de partida para realizar uma compra, através de uma busca orgânica ou visualização de algum anúncio ou publicidade. 

Quando falamos de jornada de compra simplificada, estamos falando de utilizar as redes sociais não apenas para o marketing, mas como o próprio canal de compra. Ou seja, a era do popular stories ou posts direcionando o usuário a clicar no link da bio para acessar o site já está obsoleto, atualmente, é possível comprar um produto pelo próprio post, que encaminha o consumidor diretamente ao check-out, reduzindo a complexidade de passar por várias etapas até finalizar a compra, e aumentar assim as chances de conversão.

Redes sociais como o Pinterest e o Instagram já disponibilizam esses recursos em seus sistemas, ferramenta que pode ser utilizada tanto por grandes players, quanto por micro e pequenas empresas. Essas plataformas se tornaram imprescindíveis para o e-commerce, e tudo indica que o comércio eletrônico das redes sociais ou “social commerce” só tende a crescer: de acordo com a Research and Markets a estimativa é que a indústria global do social commerce deve faturar US$ 600 bilhões até 2027.


2) Logística mais expressa e funcional

Por outro lado, levar o consumidor a finalizar uma compra é só o início da jornada, a etapa da entrega do pedido é essencial para fidelizar clientes e consolidar sua marca. Afinal, não basta apenas focar na qualidade do produto quando o consumidor espera semanas para tê-lo em casa ou se depara com algum problema. 

Por isso, modalidades como “same day” e até mesmo “same hour” vêm ganhando a preferência dos clientes finais, se tornando um dos fatores principais para alavancar as vendas. Por exemplo, segundo artigo do E-commerce Brasil, a rede de moda Amaro quando realiza entrega de pedidos no mesmo dia, aumenta em 48% sua taxa de conversão.

Vale lembrar que ao mesmo tempo que os consumidores preferem a rapidez nas entregas, eles também procuram por fretes mais baratos e é aí que mora o problema, já que a etapa de last mile consome mais da metade dos custos totais da logística. A questão é: como tornar essa etapa mais expressa sem gastar uma fortuna?

Assim como outros sistemas do e-commerce exigem tecnologia de ponta, a logística não fica de fora, e o omnichannel pode ser a chave para isso.

Esta modalidade de distribuição está cada vez mais em ascensão no mercado varejista, já que é possível utilizar as próprias lojas físicas como ponto de distribuição, e assim otimizar o processo de entrega e economizar nos valores totais, podendo oferecer tempo de espera e fretes mais competitivos. Em 2021, as análises feitas pela Linx Digital mostraram que os pedidos omnichannel apresentaram aumento de 27,4% em relação a 2020.

Outra vantagem do omnichannel é que o cliente final possui a opção de retirar o produto em uma loja física, diversificando as opções de entrega e tornando-as mais customizáveis, já que cada consumidor apresenta níveis de urgência diferentes, ou seja, um cliente que comprou uma peça de carro, por exemplo, pode ter um nível de urgência “same day” enquanto um que comprou uma peça de roupa, pode esperar alguns dias ou até um mês se estiver tratando de um e-commerce de importados. 

Seja qual for a necessidade, o objetivo é oferecer maior diversidade e customização nas entregas, entregando ao consumidor melhor experiência e consequentemente fidelizando mais clientes. 

3) Logística reversa

Somente no primeiro semestre de 2021, o Brasil registrou no comércio eletrônico R$ 53,4 bilhões em vendas, segundo a Ebit|Nielsen. Em contrapartida, segundo a mesma pesquisa, 30% das compras online são devolvidas ou trocadas, e a tendência, agora que o e-commerce se tornou uma modalidade de compra consolidada entre os consumidores,  é tornar o processo reverso funcional.

Embora muitos players ofereçam a possibilidade de devolução ou troca do pedido, esse processo se torna mais uma inconveniência do que um fator positivo, já que, o comum é o consumidor ter que levar o produto em questão para uma agência dos Correios ou a um local relacionado.

É muito mais atrativo para o consumidor e estratégico (no caso da fidelização de clientes) uma empresa que ofereça esse serviço, sendo ela a  responsável por coletar o pedido a ser trocado ou devolvido na própria casa do cliente final.

Para isso, um parceiro logístico pode ser a solução. A Uello é uma startup de logística e uma das Top 10 Autotechs, de acordo com o ranking da 100 Open Startups de 2021. Especializada em last mile, oferece serviços de omnichannel e logística reversa que melhor se adequam a operação de médios e grandes players do e-commerce. Além disso, é focada na experiência do consumidor, através do sistema de tracking e mensageria, em que o cliente final pode acompanhar o status do pedido em tempo real pelo próprio celular. Saiba mais do por que investir em um serviço de mensageria na logística?.

TALVEZ POSSA TE INTERESSAR:

SE INSCREVA EM NOSSA NEWSLETTER